domingo, 31 de janeiro de 2010

Despida




Eu me encontro novamente despida,

Despida de ilusões,

Despida da mascara que envolve,

Não, eu me encontro vestida, vestida

Nua e cheia de vida,

Do amor dentro de mim,

Do fogo que arde,

Das emoções traduzidas em verso e em prosa,

Do sol que me aquece, mesmo em dias de chuva,

Das chuvas que encharcam o mais doce jardim,

Das flores, das arvores, lotadas de colorido exuberante,

Eu me encontro despedida sim,

das tristezas, que marcaram as desilusões,

Porque vejo dentro de mim, o amor, que coloco para fora

Quando sinto o ar que respiro,

Quando percebo e transfiro a alegria das delicadezas,

Dos momentos em que vivo.

Quando vejo renascer a cada instante uma gota de esperança

Em que brilha o valor de cada ser humano, nesta nova etapa, em que estamos re-nascendo.

Eu me encontro despida...

Re-nascendo...

VD

31/01/2010

Sem comentários:

Enviar um comentário

Comentem