segunda-feira, 26 de dezembro de 2016


Pão de Mel de Liquidificador

Ingredientes do Pão de Mel de Liquidificador




2 xícaras de farinha de trigo




1 xícara de chocolate em pó




1 xícara e leite




1 xícara de açúcar




3 colheres de sopa de mel




3 ovos inteiros




1 pitada de canela




1 pitada de cravo (moído)




1 colher de sobremesa de fermento em pó


http://www.bolosdeliquidificador.com.br/2015/10/pao-de-mel-de-liquidificador.html



Modo de preparo do Pão de Mel de Liquidificador

Bata todos os ingredientes por 5 minutos no liquidificador ou até que a massa esteja bem homogênea, MENOS O FERMENTO. Depois da massa bem batida adicione o fermento e clique em pulsar duas ou três vezes sem bater.




Unte uma forma retangular com margarina e farinha e leve ao forno por aproximadamente 35 minutos. Depois de pronto (faça o teste do palito) você pode dividir ao meio e colocar vários recheios como de doce de leite, goiabada, chocolate, brigadeiro, coco ETs... Lembrando que os tradicionais são os de doce de leite e o de goiabada. Pode também deixar sem nenhum recheio e apenas cobrir com chocolate

quinta-feira, 10 de setembro de 2015

Eu Sou

"A ordem divina dirige minha vida hoje e todos os dias. Todas as coisas trabalharão hoje em conjunto para o meu bem. Este é para mim um novo e maravilhoso dia. 

Nunca haverá outro dia igual a este. Serei divinamente orientado o dia inteiro e, o que quer que faça, eu prosperarei. O amor divino cerca-me, abraça-me, envolve-me, e eu andarei em paz.

Em todas as ocasiões que minha atenção se desviar do que é bom e construtivo, irei trazê-la imediatamente de volta para a contemplação do que é belo e de boa fama. 

Eu sou um ímã espiritual e mental, atraindo todas as coisas que me abençoam e me fazem prosperar. Vou ser hoje um sucesso maravilhoso em tudo que fizer. Vou, definitivamente, ser feliz durante todo o dia."

(Joseph Murphy)

quarta-feira, 8 de abril de 2015

O Poder da Validação




Todo mundo é inseguro, sem exceção.

Os super confiantes simplesmente disfarçam melhor. Não escapam pais, professores, chefes nem colegas de trabalho.

Afinal, ninguém é de ferro.

Paulo Autran treme nas bases nos primeiros minutos de cada apresentação, mesmo que a peça que já tenha sido encenada 500 vezes.

Só depois da primeira risada, da primeira reação do público, é que o ator se relaxa e parte tranquilo para o resto do espetáculo.

Eu, para ser absolutamente sincero, fico inseguro a cada novo artigo que escrevo, e corro desesperado para ver os comentários postados.

Insegurança é o problema humano número 1. O mundo seria muito menos neurótico, louco e agitado se fôssemos todos um pouco menos inseguros. Trabalharíamos menos, curtiríamos mais a vida, levaríamos a vida mais na esportiva. Mas como reduzir esta insegurança?


Alguns acreditam que estudando mais, ganhando mais, trabalhando mais resolveriam o problema. Ledo engano, por uma simples razão: segurança não depende da gente, depende dos outros. Está totalmente fora do nosso controle.

Por isso segurança nunca é conquistada definitivamente, ela é sempre temporária, efêmera.

Segurança depende de um processo que chamo de “validação”, embora para os estatísticos o significado seja outro. Validação estatística significa certificar-se de que um dado ou informação é verdadeiro, mas eu uso esse termo para seres humanos. Validar alguém seria confirmar que essa pessoa existe, que ela é real, verdadeira, que ela tem valor.


Todos nós precisamos ser validados pelos outros, constantemente. Alguém tem de dizer que você é bonito ou bonita, por mais bonito ou bonita que você seja. O autoconhecimento, tão decantado por filósofos, não resolve o problema. Ninguém pode autovalidar-se, por definição.


Você sempre será um ninguém, a não ser que outros o validem como alguém. Validar o outro significa confirmá-lo, como dizer: “Você tem significado para mim”.

Validar é o que um namorado ou namorada faz quando lhe diz: “Gosto de você pelo que você é”. Quem cunhou a frase “Por trás de um grande homem existe uma grande mulher” (e vice-versa) provavelmente estava pensando nesse poder de validação que só uma companheira amorosa e presente no dia-a-dia poderá dar.

Um simples olhar, um sorriso, um singelo elogio são suficientes para você validar todo mundo.

Estamos tão preocupados com a nossa própria insegurança, que não temos tempo para sair validando os outros.

Estamos tão preocupados em mostrar que somos o “máximo”, que esquecemos de dizer aos nossos amigos, filhos e cônjuges que o “máximo” são eles. Puxamos o saco de quem não gostamos, esquecemos de validar aqueles que admiramos.

Por falta de validação, criamos um mundo consumista, onde se valoriza o ter e não o ser. Por falta de validação, criamos um mundo onde todos querem mostrar-se, ou dominar os outros em busca de poder.

Validação permite que pessoas sejam aceitas pelo que realmente são, e não pelo que gostaríamos que fossem. Mas, justamente graças à validação, elas começarão a acreditar em si mesmas e crescerão para ser o que queremos.

Se quisermos tornar o mundo menos inseguro e melhor, precisaremos treinar e exercitar uma nova competência: validar alguém todo dia. Um elogio certo, um sorriso, os parabéns na hora certa, uma salva de palmas, um beijo, um dedão para cima, um “valeu, cara, valeu”.

Você já validou alguém hoje? Então comece já, por mais inseguro que você esteja.



Stephen Kanitz

Artigo publicado na Revista Veja, edição 1705, ano 34, nº 24, 20 de junho de 2001, pág.22

quarta-feira, 25 de março de 2015

Tem dias...



Tem dias que acordamos bem dispostas, com vontade de cantar e sorrir para toda a gente...

Tem dias que parece que nada nos pode desanimar, que tudo correrá bem independentemente do que acontecer!

Tem dias que fazemos imensas boas ações e só por isso ficamos com um sorriso estampado nos lábios!

Tem dias que temos vontade de gritar ao mundo o quanto amamos os nossos amigos e o quanto eles são importantes para nós...

Tem dias que todos se dão bem em família e que tudo está alegre e em sinfonia...

Tem dias que nos apetece as coisas mais estranhas do mundo!

Tem dias que precisamos de ter um companheiro ao nosso lado para nos confortar, para conversarmos, mesmo que sejam conversas banais...


Tem dias que precisamos apenas da sua simples presença...

Tem dias que acordamos tristes... com vontade de chorar sem saber bem o porque, a maior parte das vezes por tudo e por nada!

Tem dias que sentimos uma solidão extrema...

Tem dias que o mundo parece que vai ruir á nossa volta...

Tem dias que dizemos não crer falar com ninguém, mas na esperança que esse alguém perceba o quanto necessitamos dele...

Tem dias...

Tem dias que temos tudo...


Tem dias que não temos nada...

O mais importante é pensar que são dias... fases passageiras e que se olhar-nos bem para dentro de nós e tivermos força e vontade tudo se consegue...


Tem dias assim.. nostálgicos..
E a todos queria desejar sempre Bom dia... 

segunda-feira, 23 de março de 2015

Despertar





"O processo do despertar é um movimento em direção ao real. Para que isso aconteça, inevitavelmente, o falso precisa ser destruído. Isso não é fácil. O que é fácil ou difícil está intimamente relacionado com o apego ao que está indo embora. Muitas vezes, você acha que as paredes que estão caindo são as paredes da sua casa, mas são as paredes de uma prisão” Sri Prem Baba

domingo, 22 de março de 2015

No momento que você nota dentro de si algum incômodo em relação a uma pessoa, ou lugar, acontecimento ou coisa, inicie o processo de limpeza, peça a Deus:

“Divindade, limpe em mim as memórias que estão causando este problema. Transmute-as em pura luz”.
Então, use as frases desta seqüência: “Sinto muito. Me perdoe. Te amo. Sou grato”. várias vezes, você pode destacar uma que lhe toca mais naquele momento e repeti-la. Deixe sua intuição lhe guiar.
Quando você diz “Sinto muito” você reconhece que algo (não importa se saber o que) penetrou no seu sistema corpo/mente. Você quer o perdão interior pelo o que lhe trouxe aquilo.
Ao dizer “Me perdoe” você não está pedindo a Deus para te perdoar, você está pedindo a Deus para te ajudar se perdoar.
“Te amo” transmuta a energia bloqueada (que é o problema) em energia fluindo, religa você ao Divino.
“Sou grato” é a sua expressão de gratidão, sua fé que tudo será resolvido para o bem maior de todos envolvidos.

Leia mais em :http://somostodosum.ig.com.br/clube/artigos.asp?id=11621

quinta-feira, 19 de março de 2015

Um Encontro Com Você - 2015


"Também faz parte da cura entrar em contato com a DOR escondida dentro de nós mesmos. Preparamos este encontro para te apresentar a VOCÊ mesmo. Como experiências vividas por você, em sua infância, influenciam o seu comportamento e suas escolhas hoje. Como você se mantém no desconforto? Venha conhecer a SUA verdade e através dela ser livre de repetições. O cenário é um presente da Divindade, as ferramentas, o caminho para esse encontro revelador. Não perca mais tempo é hora de você se levar para casa." Marcia Mendes



sábado, 7 de março de 2015

Pessoas são Dons

          PESSOAS SÃO DONS



Pessoas são dons que Deus nos manda embrulhadas...

Umas são presentes que vêm num bonito embrulho atraente...

Estas chamam atenção pela beleza e aparência.

Outras vêm em embrulhos comuns.

Umas ficam machucadas no correio.

De vez em quando chega uma registrada.

Umas são presentes que vêm em embrulhos fáceis...

Outras, são difíceis de tirar a embalagem.

Porém... a embalagem também é presente.

Às vezes o presente não é fácil de abrir.

Precisa-se de ajuda de outras pessoas para não haver o engano de jogar fora o presente.

Você é uma pessoa, por conseguinte, um presente.

Um presente a você antes de tudo...

Deus deu-o a você mesmo.

Você já olhou para dentro de si mesmo ?

Já penetrou sua embalagem ?

Gostou do presente que você é.. ou talvez nunca tenha aceitado o presente que você é.

Será que Deus faz coisas que não são maravilhosas ?

Você já percebeu o Presente maravilhoso que você é ?

Cada encontro de pessoas é uma troca de presentes.

Somos dons de Deus uns para os outros...

Dons recebidos e dons dados.

Pessoa é presente: e marca presença pela vida, pelo sorriso, pela palavra, pelo gesto simples, pela ação e pelo ser.

Conviver... É ser Presente de Alegria... de Vida... de AMOR ! AD

sexta-feira, 6 de março de 2015

O que é Codependencia e um teste muito bom dentro deste site....

CODEPENDÊNCIA OU DEPENDÊNCIA EMOCIONAL:



O QUE É? É a inabilidade de manter e nutrir relacionamentos saudáveis com os outros e consigo mesmo, resultando em relações difíceis, desgastantes ou destrutivas.

Na Codependência, nota-se a presença de baixa auto-estima, de expectativas irreais, da falta de bons diálogos, de discussão direta dos problemas, expressão aberta dos sentimentos e pensamentos, comunicação honesta e franca, de respeito às individualidades, de intimidade, de confiança nos outros e em si mesmo.

O termo Codependência teve origem nos estudos e trabalhos da Dependência química e foi atribuído aos familiares, partindo do princípio de que os familiares de dependentes químicos também apresentariam uma dependência, não das drogas, mas emocional, isto é, relacionada a um vínculo doentio que têm com estes dependentes.

Em média, 9 pessoas são afetadas pelo impacto da dependência química de um ente querido, número que extrapola o da família nuclear que é formada, em média, por 3 pessoas. Este é o resultado de uma recente pesquisa realizada na cidade de São Paulo, pela UNIAD/Unifesp/Inpad.

A pesquisa aponta também que, além da resistência do dependente químico em aceitar o tratamento (52% dos casos), o comportamento/atitude da família (11%) é a segunda maior dificuldade encontrada no tratamento.
LEIA NO SEU TODO NESTE LINK... http://www.elizabethzamerul.com.br/codependencia.php

Coleguismo

O que temos em Alta nos dias de hoje....
"O coleguismo é uma relação interpessoal humana muito comum, está presente em diversas áreas de nossa vida e envolve a maioria das pessoas.
Onde estamos temos a habilidade de nos relacionar, e qualquer tipo de relacionamento saudável entre pessoas pode ser tido como coleguismo.
Podemos fazer colegas em festas, férias, no trabalho, na escola ou em qualquer ambiente.
Os colegas são amáveis e simpáticos, geralmente temos muitas coisas em comum.
Com os colegas até podemos repartir algumas dores, mas não devemos falar de mais e nem tudo o que pensamos, eles são embalados no lacre da superficialidade.
Podemos conviver anos com um colega sem saber a história de sua vida.
O importante é sempre manter o alto-astral, dar risadas, se divertir e seguir aquela linha de comportamento imposta pela sociedade em todas as circunstancias.
Os colegas passam por nossa vida, uns por algumas horas, outros por dias ou até anos.
 São pessoas que entram e saem das nossas vidas, quando vem à separação não devemos temer, “foi bom enquanto durou”, desejar felicidades e seguir em frente cada um pelo seu rumo.
Se no futuro se encontrarem relembrarão alguns momentos e perceberão que se fizeram o uso da palavra amigo foi em vão, pois na verdade passaram pelas vidas um do outro quando havia algo em comum, mas agora, é... eram colegas!
" ESCRITO POR ANDRÉ HASSE UREL http://opensamentoinevitavel.blogspot.com.br/search/label/Amizade

quinta-feira, 5 de março de 2015

frases,mensagens e poesias: Frases e Citações - Ana Jácomo

frases,mensagens e poesias: Frases e Citações - Ana Jácomo: ''Não é preciso agendar, entrar em fila, contar com a sorte, acordar cedo para pegar senha: a possibilidade de recomeço está dispo...

O Padrão é circular



O Padrão é Circular... 

Olá, quero compartilhar com você este texto super esclarecedor e que ilumina nossa percepção: Desperte para isso e é meio caminho andado para a Limpeza do mesmo. 
Quanto maior a nossa identificação com o personagem vivendo o padrão desagradável, maior o sofrimento, e mais difícil sair dele. Isso porque o "personagem" que você acredita ser você (memórias) depende da intensidade do sofrimento para se manter "vivo", atuante, e no controle. 

Simplificando; Olhe o padrão como um círculo, quanto mais intensa a sua participação (identificação) nele, maior o círculo, mais tempo percorrendo-o. Por isso que parece perdurar a situação desagradável, pois o círculo tem um ponto de maior intensidade (que é onde se entra nele) e um ponto de menor intensidade - que é quando parece que saímos fora do padrão. 
Na realidade só amenizou o grau de identificação, não deixa de ser um alívio, mas ainda se está no padrão. 

Qualquer gatilho pode jogar a pessoa de volta na parte de maior intensidade, de aflição, de dor Quando se consegue enxergar o padrão pelo o que é, um cenário no palco de manifestação da vida, podemos presenciar como as memórias atuam na dualidade, os apelos, as jogadas para estimular reações/julgamentos que as alimentam com as emoções fomentadas....

 Veja o texto completo no link : http://www.72.idmkt8.com/v/2Pe39Q0eiQ8e537-0810b6

Solidão Começa no pensamento. - Monica Aiub

Em 1964, Jean-Paul Sartre recusou o prêmio Nobel de literatura e, na ocasião, Gilles Deleuze escreveu um artigo intitulado: “Ele foi meu mestre”, cuja tradução foi publicada no livro A ilha deserta e outros textos.
"Estar só é falar por si mesmo, é não ter diante de si, nem atrás de si, algo que lhe ampare, que lhe sustente; é não representar ou ser representado por algo. Rejeição é repulsa, desaprovação. Estar só não implica em rejeição e esta não leva necessariamente à solidão"
Ao estabelecer as diferenças entre o mestre e o professor, Deleuze cita duas características fundamentais do mestre: a solidão e uma certa agitação, uma certa desordem do mundo na qual surgem os mestres.
Ao ler a afirmação de Deleuze, lembrei-me das muitas queixas de solidão que aparecem no consultório. Idalina Krause, no livro A arte de compartilhar, apresenta a SSAS (Síndrome da Solidão Aguda Severa ) como uma “epidemia devastadora”, citando alguns casos comuns a muitas pessoas.

Você já sentiu a solidão da incompreensão? Parece que você é a única pessoa do mundo a ver as coisas de uma determinada maneira; parece que só você pensa assim, só você é assim. A beleza do trabalho terapêutico é a aproximação ao mundo existencial das pessoas. No consultório, o partilhante (paciente) conta como vê o mundo, os outros e a si mesmo; como sente, pensa, planeja, age...

O objetivo de um filósofo clínico não é julgar, replicar, rebater ou convencer; mas investigar, compreender, pensar junto com o partilhante. Assim, acompanhando os relatos das vivências das pessoas é possível observar que, embora pareça que só você pense diferente, muitos de nós pensamos, sentimos, compreendemos, agimos e somos de maneiras radicalmente distintas do que é considerado “normal”, “comum”.

Se conseguíssemos ouvir mais os outros, observar sem julgar e sem querer convencer o outro de que estamos certos, e se conseguíssemos interlocutores com a mesma postura de escuta atenta, de dis-posição para pensar junto conosco, talvez percebêssemos que esse “ver, pensar e sentir diferente de todo mundo” é muito mais comum do que imaginamos. Consequentemente, a solidão de ser o único ser no universo a não partilhar um mundo ou um sistema pré-estabelecido seria minimizada.

Você já observou como as pessoas enxergam o mundo de modo tão singular? Já teve curiosidade em saber como as pessoas constroem suas visões de mundo? Por que pensam como pensam? São como são? Já observou isso em você mesmo? A solidão de constatar nossa “inadequação” ao padrão instituído, ao “ser como todo mundo é”, pode, de um lado, nos entristecer, nos deprimir. Pode excluir, calar, isolar; pode provocar sofrimento e estagnação na tentativa de uma pseudo-adequação a um sistema ou opinião vigentes.

De outro lado, pode ser exatamente essa solidão a nos levar a dizer algo em nosso próprio nome, a suscitar o surgimento de uma novidade radical, a propiciar um olhar para nosso modo de ser, nossas forças, fragilidades e medos, e, consequentemente, nos permitir a construção de formas de vida adequadas a nossas necessidades.

Quando iniciei os estudos em filosofia, ouvia de meus professores – alguns deles grandes mestres, no sentido explicitado por Deleuze – que a filosofia é uma atividade solitária. A princípio entendi essa afirmação como se referindo à necessidade de leitura dos textos, de escrita, algo que, pensava eu, exige um certo isolamento. Mas questionava a afirmação lembrando a necessidade do diálogo, das provocações do outro ao curso de nosso pensar levando-nos a revisitar os caminhos percorridos por nosso pensamento. Solidão em questão Só muito mais tarde pude compreender o que meus professores diziam. Eles não se referiam a um estar só no sentido de isolar-se para ler, estudar ou escrever.

A solidão em questão é a solidão de quem pensa, sente, fala e vive por si mesmo, ainda que suas ideias contrariem a ordem estabelecida, a opinião vigente, o padrão instituído. Essa solidão é o “abandono” do qual nos fala Sartre: estamos sós e sem desculpas; somos responsáveis por aquilo que fazemos de nós e, consequentemente, pela humanidade que construímos. É comum encontrar pessoas que reivindiquem e ao mesmo tempo temam a liberdade, que busquem e não suportem conviver com a solidão.

O estar só não é uma constatação fácil, mas também não é uma opção. Ainda que estejamos cercados por outras pessoas ou por uma verdadeira multidão; ainda que muitos pensem como nós sobre diversos aspectos; ainda que muitos jurem presença, companhia e partilha eternas; ainda assim estamos sós. Partilhamos alguns momentos, temos companhia às vezes, mas somos os únicos responsáveis por aquilo que fizemos de nós mesmos, pelas formas de vida que escolhemos construir e viver. Você já se sentiu só diante de sua própria voz? Já se percebeu rejeitado, excluído, porque falava por si mesmo? O pensar diferente provoca, em muitas pessoas, a sensação de inadequação, o medo de enlouquecer, a vergonha por não ser como todo mundo é, a solidão. Há certa confusão entre solidão e rejeição.

Estar só é falar por si mesmo, é não ter diante de si, nem atrás de si, algo que lhe ampare, que lhe sustente; é não representar ou ser representado por algo. Rejeição é repulsa, desaprovação. Estar só não implica em rejeição e esta não leva necessariamente à solidão. Solidão implica em falar em próprio nome O que muitas vezes ocorre é o medo de ser rejeitado por dizer algo por si mesmo e desagradar o outro.

Quando se diz algo por si, quando se compreende que a solidão implica em falar em próprio nome, em não se esconder atrás de uma instituição ou de uma coletividade, novos rumos se abrem. Expõe-se aquilo que se é, mostra-se em suas forças e fragilidades. É como estar nu diante de uma platéia vestida. E a platéia pode gostar ou não do espetáculo. E se o outro não gostar do que vê? E se não pensar como eu? E se eu não encontrar respaldo na opinião vigente? O medo que paira sobre a aceitação ou a rejeição de nossas ideias, muitas vezes nos cala. Contudo, calar é também uma postura, uma postura que pode nos manter sós. Não um calar para nada dizer, um aquietar-se para ouvir o outro, mas um calar por medo de pensar diferente, por medo de um julgamento. Seria a solidão um sentimento diante da ausência de um outro, da ausência de vínculos? Seria ela uma ausência de si mesmo? Ou seria ela o assumir-se só diante da vida, o ato de falar por si mesmo, ainda que junto-com-o-outro, em postura atenta e radical? Se você é ou se sente só, como significa sua solidão? O que ela provoca em você?

 Referências Bibliográficas: DELEUZE, G. A ilha deserta e outros textos. São Paulo: Iluminuras, 2006. KRAUSE, I. A arte de compartilhar: Filosofia Clínica. Porto Alegre: Evangraf, 2007. SARTRE, JP. O existencialismo é um humanismo. São Paulo: Abril Cultural, 1973.http://www2.uol.com.br/vyaestelar/filosofia_pensamento01.htm

O que a filosofia diz sobre a amizade? - Monica Aiub

O que a filosofia diz sobre a amizade? - Monica Aiub

Ideias sobre amizade do filosófo grego Aristóteles (384 a.C. - 322 a.C.), são contemporâneas Pergunta o leitor: "O que a filosofia diz sobre a amizade? O filósofo é alguém sem amigos?". É difícil apresentar de maneira generalizada o que a "filosofia" diz sobre a amizade. Nesses tantos séculos de história da filosofia, muitas e diferentes ideias foram expostas sobre a amizade. Tantos foram, e são, os filósofos que não é fácil traçar seus posicionamentos acerca dos amigos: Tê-los ou não? Mas tentemos pensar juntos sobre a amizade e os amigos, acompanhando as palavras de alguns deles sobre o assunto. O que fazem os amigos? São nosso refúgio na pobreza e no infortúnio; ajudam os mais jovens a evitar os erros; ajudam as pessoas idosas amparando-as em suas necessidades; estimulam as pessoas na plenitude de suas forças à prática de ações nobilitantes, pois com amigos as pessoas são mais capazes de pensar e de agir". Você considera as ideias acima descritas atuais? Então saiba que são de autoria de Aristóteles. "Uma forma de excelência moral" ou "concomitante com a excelência moral", "extremamente necessária à vida" são termos que Aristóteles utiliza para iniciar o livro VIII da Ética a Nicômacos, capítulo que trata sobre a amizade. Prossegue ele: "De fato, ninguém deseja viver sem amigos, mesmo dispondo de todos os outros bens". Note como Aristóteles preza a amizade, colocando-a como um bem desejável, mesmo àquele que dispõe de todos os outros, e apresentando o amigo como aquele que nos torna mais capazes de pensar e agir. Você concorda com Aristóteles? Seus amigos lhe provocam a pensar e agir com mais capacidade? Você também faz isso com seus amigos? No capítulo IX do mesmo livro, Aristóteles afirma: "Com efeito, a amizade é uma parceria, e uma pessoa está em relação a si própria da mesma forma que em relação ao amigo; em seu próprio caso, a consciência de sua existência é um bem, e portanto a consciência da existência de seu amigo também o é, e a atuação desta conscientização se manifesta quando eles convivem; é portanto natural que eles desejem conviver. E qualquer que seja a significação da existência para as pessoas e seja qual for o fator que torna a sua vida digna de ser vivida, elas desejam compartilhar a existência de seus amigos; sendo assim, alguns amigos bebem juntos, outros jogam dados juntos, outros se juntam para os exercícios do atletismo ou para a caça, ou para o estudo da filosofia, passando seus dias juntos na atividade que mais apreciam na vida, seja ela qual for; de fato, já que os amigos desejam conviver, eles fazem e compartilham as coisas que lhes dão a sensação de convivência". Constatar, ter consciência da amizade, da existência do amigo, é um bem. Como isso se dá? Pela convivência, segundo Aristóteles. Assim, para atingir este bem tão necessário, precisamos conviver. Não podemos esquecer que no período em que viveu Aristóteles, cuidar de si era cuidar da polis, da vida em sociedade. Para o filósofo, o homem é um animal político e, portanto, a convivência é de suma importância. Você convive com seus amigos? O que costuma fazer nessa convivência? Você considera que hoje é preciso cuidar da vida em sociedade para cuidar de si? Os amigos ajudariam nesse processo? Em quê? Ainda no capítulo VIII, Aristóteles afirma: "Quando as pessoas são amigas não têm necessidade de justiça, enquanto mesmo quando são justas necessitam da amizade". Este seria um bom motivo para mantermos as amizades, e através delas, cuidarmos de nós e da vida em sociedade. Epicuro: o filósofo da amizade Epicuro, considerado o filósofo da amizade, afirmou em suas Sentenças Principais: "De todas as coisas que a sabedoria nos oferece para a felicidade da vida, a maior é a amizade". Aqui podemos constatar mais um filósofo que trouxe a amizade como fator primordial à vida. Segundo ele, a amizade, ainda que não nos livre das dores do corpo e da alma, nos auxilia a suportá-las. Segundo La Boétie, a amizade é nossa única forma de recusa à servidão, servidão que deriva da vontade humana, impondo-se e nos fazendo esquecer a liberdade do desejo. Por sua vez, Montaigne, em seus Ensaios, ao tratar da amizade, aponta para sua amizade com La Boétie, descrevendo a qualidade e a importância de uma relação dessa natureza: "Na amizade a que me refiro, as almas entrosam-se e se confundem em uma única alma, tão unidas uma à outra que não se distinguem, não se lhes percebendo sequer a linha de demarcação. Se insistirem para que eu diga por que o amava, sinto que o não saberia expressar senão respondendo: porque era ele; porque era eu". 
Deleuze, filósofo do século XX, em entrevista para Claire Parnet, no vídeo O Abecedário Deleuze, afirma "Eu adoro desconfiar do amigo. Para mim, amizade é desconfiança. Há um verso de que gosto muito, e me impressiona muito, de um poeta alemão, sobre a hora entre cão e lobo, a hora na qual ele se define. É a hora na qual devemos desconfiar do amigo. Há uma hora em que se deve desconfiar até de um amigo. Eu desconfio do Jean-Pierre como da peste! Desconfio dos meus amigos. Mas é com tanta alegria que não podem me fazer mal algum. O que quer que façam, vou achar muita graça (...) Ser amigo é ver a pessoa e pensar: 'O que vai nos fazer rir hoje?'. 'O que nos faz rir no meio de todas essas catástrofes?' É isso". 
Apesar da filosofia exigir a solidão de pensar por si mesmo (clique aqui e leia), ela também exige o amigo, aquele com quem se dialoga, aquele que desconfia e de quem desconfiamos, que questiona, que nos faz pensar. Não há filosofia sem diálogo. Deleuze e Guattari, em O que é a Filosofia?, falam do amigo da sabedoria, que é aquele que pretende o saber, o pretendente e, portanto, rival do outro. Teríamos deixado de ser o amigo do outro para sermos amigos do saber e rivais do outro? Penso que o filósofo precisa ser, concomitantemente, amigo do saber - no sentido de buscar, de conviver, de dialogar com esse saber que lhe provoca, espanta, instiga -, e amigo do outro - com quem o diálogo necessário se estabelece, para que ele não se perca em divagações vazias. Alguns dirão que este outro são os textos dos filósofos, que nos instigam, provocam, espantam e com os quais estabelecemos diálogo. Outros defenderão que além de tais outros, necessitamos do diálogo e da partilha daquilo que amamos com a presença de um outro, com a convivência, como afirmou Aristóteles. De qualquer maneira, encontramos, na História da Filosofia, vários pensadores que apontam para a importância da amizade. 
É o amigo quem nos alerta, quem nos provoca a pensar. É também o amigo quem partilha conosco suas histórias, seu modo de ser, seu cuidado, seu riso. E você, leitor, o que pensa? A amizade é importante? O que significa, para você, ser amigo? Você tem amigos? Você se considera um bom amigo? Por quê?


Referências Bibliográficas: ARISTÓTELES. Ética a Nicômacos. Brasília: UNB, 1985. DELEUZE, G. O Abecedário Deleuze. Entrevista com Claire Parnet. Vídeo. DELEUZE, G.; GUATTARI, F. O que é a Filosofia? São Paulo: Ed. 34, 2001. EPICURO. Máximas e Sentenças. Col. Os Pensadores. São Paulo: Abril Cultural, 1972. LA BOÉTIE, E. Discurso da Servidão Voluntária. São Paulo: Brasiliense, 1999. MONTAIGNE, M. Ensaios. Col. Os Pensadores. São Paulo: Abril Cultural, 1972. http://www2.uol.com.br/vyaestelar/filosofia_amizade.htm

segunda-feira, 2 de março de 2015

BLOG DA ELUSA: A PRÁTICA DE GRATIDÃO

BLOG DA ELUSA: A PRÁTICA DE GRATIDÃO: Talvez o exercício mais profundo no Budismo seja a prática de Gratidão. Imagine passar um dia inteiro agradecendo cada pessoa que encontr...

quarta-feira, 14 de maio de 2014

Abraham

Nenhum ser humano jamais faria qualquer coisa para prejudicar o outro, se estivesse conectado à Fonte, pois quando você está conectado, você se sente poderoso, você não se sente inseguro. E quando você não se sente inseguro, você não precisa fazer nada para alguém do qual você sente temor, ou porque você não sente temor. Você entende que o Bem-Estar é seu. [Abraham]

domingo, 8 de dezembro de 2013


Um samurai, conhecido por todos pela sua nobreza e honestidade, veio visitar um monge Zen em busca de conselhos. Entretanto, assim que entrou no templo onde o mestre rezava, sentiu-se inferior, e concluiu que, apesar de toda a sua vida ter lutado por justiça e paz, não tinha sequer chegado perto ao estado de graça do homem que tinha à sua frente.
- Por que razão me estou a sentir tão inferior a si? Já enfrentei a morte muitas vezes, defendi os mais fracos, sei que não tenho nada do que me envergonhar. Entretanto, ao vê-lo meditar, senti que a minha vida não tem a menor importância.
- Espere. Assim que eu tiver atendido todos os que me procurarem hoje, eu dou-te a resposta.
Durante o resto do dia o samurai ficou sentado no jardim do templo, a olhar para as pessoas que entraram e saíram à procura de conselhos. Viu como o monge atendia a todos com a mesma paciência e com o mesmo sorriso luminoso no seu rosto. Mas o seu estado de ânimo ficava cada vez pior, pois tinha nascido para agir, não para esperar. De noite, quando todos já tinham partido, ele insistiu:
- Agora podes-me ensinar?
O mestre pediu que entrasse, e conduziu-o até o seu quarto. A lua cheia brilhava no céu, e todo o ambiente inspirava uma profunda tranquilidade.
- Estás a ver esta lua, como ela é linda? Ela vai cruzar todo o firmamento, e amanhã o sol tornará de novo a brilhar. Só que a luz do sol é muito mais forte, e consegue mostrar os detalhes da paisagem que temos à nossa frente: árvores, montanhas, nuvens. Tenho contemplado os dois durante anos, e nunca escutei a lua a dizer: por que não tenho o mesmo brilho do sol? Será que sou inferior a ele?
- Claro que não - respondeu o samurai. - Lua e sol são coisas diferentes, e cada um tem sua própria beleza. Não podemos comparar os dois.
- Então, tu sabes a resposta. Somos duas pessoas diferentes, cada qual a lutar à sua maneira por aquilo que acredita, e a fazer o possível para tornar este mundo melhor; o resto são apenas aparências. 

 


quinta-feira, 4 de julho de 2013

Transbordar do Coração

O que é o transbordar do coração? É o momento sublime que nossa essência Divina se manifesta e faz-nos sentir dimensões interiores de paz, amor e ternura.. É o fluir do coração... Que consigamos adentrar nessa imensidão que é nosso Coração e sentir a verdadeira e mágica arte de Amar e ser Feliz! (Dany Cintra)


http://apenasamando.blogspot.com.br/2011/02/leveza-do-ser.html

quinta-feira, 27 de junho de 2013

A Paciência com as pessoas é uma grande virtude(Elohim Clarie-canalização)



"Você pensa que treina a paciência lidando com o outro Ser Humano, mas, na verdade, a paciência é o seu treino mais íntimo. E o seu grande parceiro é o Mundo e o seu próprio karma.

As pessoas estão onde estão, fazem o que fazem. Têm atitudes corretas e atitudes profundamente erradas, carregadas de engano e até de maldade. E você é convidado a exercitar, com elas, a paciência.

E quanto mais você amar essas pessoas, mais será testada a sua paciência. Mais será explorada a sua virtude, a sua capacidade de resiliência; de saber ouvir, de saber falar, de saber calar. O treino da paciência é um treino muito importante na elevação espiritual."...Continue..


http://mariasilviaporlovas.blogspot.com.br/2013_06_01_archive.html

segunda-feira, 24 de junho de 2013

Você entende alguém por inteiro?


Atitudes
por Carlos Hilsdorf
Todos nós já nos sentimos incompreendidos algumas vezes em nossas vidas - até aí, tudo bem. O problema começa quando somos (ou nos sentimos) freqüentemente incompreendidos. Nesses casos, muitas coisas podem estar acontecendo, nas diferentes fases e situações de nossas vidas.

O Escritor Antoine de Saint-Exupery (1900-1944), autor do famosíssimo “O Pequeno Príncipe” disse: “a linguagem é a fonte de mal-entendidos”. Esta é a causa mais comum da incompreensão - mesmo quando falamos o mesmo idioma, cada um de nós reage emocionalmente, e não apenas racionalmente, às palavras.

Nossa história de vida, nossas crenças e valores dão “peso” diferente às palavras que dizemos e ouvimos.

Dizer: - E aí mano? Pode ser entendido como uma saudação ou como uma ofensa, dependendo de quem diz, de quem ouve e sob que circunstâncias a frase foi dita. Assim acontece com tudo o que dizemos. Amor não significa a mesma coisa para todas as pessoas, embora todos tenham uma noção do significado geral da palavra amor. Mas dizer amor quando se está amando é diferente de dizer “amor” quando não se está. Usamos as mesmas palavras para coisas muito diferentes. As pessoas dizem “eu amo sorvete” e logo depois dizem “eu amo você”. No primeiro caso a palavra expressa uma sensação, na segunda “deve” expressar um sentimento.

É muito freqüente que as pessoas pensem estar se fazendo entender e sendo entendidas, quando, na verdade, não estão. Especialmente quando você está falando sobre uma experiência muito particular que você viveu e o outro não. Embora a outra pessoa diga entender o que você está sentindo, ela está apenas fazendo o exercício de imaginar-se no seu lugar. O simples fato de imaginar a si mesma em seu lugar, já causa interpretações diferentes: ela não é você.

Como disse Charles Baudelaire (1821-1867), poeta francês precursor do Simbolismo, “Somente por causa de más interpretações generalizadas é que todos se entendem; por isso as pessoas se entendem, mas nunca concordam”.

Porém, a maior dificuldade está no nível de consciência. Compreender é um ato de respeito, se as pessoas não te respeitam e/ou você não respeita as pessoas, a compreensão será impossível.
Diferença entre ouvir e escutar

Ninguém pode compreender outra pessoa se somente ouve, mas não escuta. Ouvir e escutar são coisas totalmente diferentes. Ouvir está ligado à capacidade da audição, escutar está ligado à capacidade e à dedicação em prestar atenção e procurar entender.
Quem te ouve, mas não te escuta, jamais irá te entender.

Um dia você está em uma festa, onde reencontra muitos dos seus amigos, alguns de infância, outros de adolescência, amigos com os quais você tinha profunda afinidade, e dos quais sentia uma grande saudade. Porém, uma coisa estranha acontece: vocês não conseguem mais estabelecer um diálogo prazeroso e duradouro. É como se você não se reconhecesse mais no cenário, é como se aquela pessoa não fosse “aquele” seu amigo, de quem você sentia tanta saudade...

O que houve?

Por que essas pessoas não te entendem mais?

Por que você não entende mais essas pessoas?

A “pessoa” de quem você sentia saudades não existe mais, ela mudou, você mudou. A afinidade que havia naquela fase da vida não se transfere automaticamente para o dia de hoje. Se vocês estiverem em níveis de consciência muito diferentes, aquele que cresceu, amadureceu e evoluiu mais, se sente incomodada com as futilidades dos imaturos. E, os imaturos, por sua vez, vão achar que a pessoa mais amadurecida ficou chata, velha, sem assunto...

São dois universos tão distintos que não se compreendem mais. Podem conviver educadamente, mas já não buscam mais o convívio, um do outro.

Quando as pessoas não se admiram e não se respeitam, passam a se desentender com extrema facilidade.

Talvez, analisando seus relacionamentos com sua família, amigos, colegas de trabalho e com a pessoa a quem você ama, você possa pensar:

- Que droga, ninguém me entende por inteiro! Algumas pessoas me entendem em algumas coisas, mas não entendem em outras... Não encontro a identidade que preciso para me relacionar...

Bem-vindo ao mundo real!

E, uma pergunta:

Você entende alguém por inteiro?

Francisco de Assis dizia que devemos buscar mais compreender que ser compreendidos. Este é um ótimo começo, afinal na vida, é dando que se recebe...

A admiração e o respeito criam um “lugar comum” onde podemos vencer as barreiras da comunicação, ouvindo com o coração e escutando com toda a nossa alma. Nesse lugar, o amor e a amizade são plenamente possíveis.

domingo, 10 de março de 2013


"Eu limpo para estar na Presença de Deus. Uma vez lá, a Divindade me dará tudo que é perfeito e correto para mim. Eu só sei isso. Esta é a Meta da minha vida. Se  eu tenho qualquer meta ou objetivo, é estar na Presença de Deus."
Dr. Ihaleakalá Hew Len

terça-feira, 5 de março de 2013

Estrelas...

"As pessoas vêem estrelas de maneiras diferentes. Para aqueles que viajam, elas são guias ; para outros, não são senão pequenas luzes; para os sábios, constituem-se em desafiantes problemas; para os homens de negócios podem ser de ouro. Para todos esses as estrelas se calam. Mas tu terás estrelas como ninguém nunca as teve Quando olhares o céu a noite, eu habitei numa delas e, ao rir, será para ti com o se todas as estrelas rissem também E desta forma tu, e somente tu, terás estrelas que sabem rir! Teus amigos se surpreenderão vendo-te olhar o céu e tu dirás. Ah! É verdade, as estrelas, elas me fazem sempre rir. E eles te julgarão louco." Saint-Exupéry

domingo, 3 de março de 2013



Companheiros de Viagem



Às vezes, imagino a vida como uma viagem de trem, feita com companheiros que a compartilham em determinados trechos.
Quando nasci, entrei no trem em que estavam meus pais; eles já conheciam algumas coisas sobre a viagem e sobre o trem. Certamente parte de seus conhecimentos correspondia à verdade e outra parte não passava de ilusões.
No meio da minha viagem nasceu minha FILHA.
A essa altura eu também já conhecia algumas coisas a respeito da viagem e do trem;
Igualmente, parte era verdadeira e parte não.
Há pouco tempo meu pai e minha Mãe deixaram o trem e, com a partida deles,foi mudada a maneira de fazermos a viagem. Mas o trem continuou...
Quando juntos,cada um dos companheiros de viagem faz suas descobertas e procura passá-las para outros,sabendo que a riqueza da luz se amplia quando é compartilhada.
Pais e filhos, somente companheiros. Nem guias, nem professores, muito menos proprietários...
Pais e filhos, o maior e mais belo encontro da vida, cúmplices no aprender a desvendar os mistérios de cada um; amigos nas transformações, pois este é um dos grandes segredos da vida: quase tudo é provisório!
O que hoje nos sacia, amanhã pode não mais fazê-lo.
De definitivo, somente os filhos e, por conseqüência, os pais: Definitivo e eterno amor!
No meio das ondas do ato de se viver e dos percursos das nuvens em se buscar...
Definitivos e eternos.
Simplesmente...
Companheiros de viagem!

Blandinne



“Nem a tristeza, nem a desilusão.
Nem a incerteza, nem a solidão...
... Nada me impedirá de sorrir...
Nem o medo, nem a depressão.
Por mais que sofra meu coração...
Nada me impedirá de sonhar...
Nem o desespero nem a descrença.
Muito menos o ódio ou alguma ofensa...
Nada me impedirá de viver...
Mesmo errando e aprendendo.
Tudo me será favorável...
Para que eu possa sempre evoluir.
Preservar, servir, cantar, agradecer.
Perdoar, recomeçar...
Quero viver o dia de hoje.
Como se fosse o primeiro...
Como se fosse o último.
Como se fosse o único...
Quero viver o momento de agora.
Como se ainda fosse cedo.
Como se nunca fosse tarde...
Quero manter o otimismo.
Conservar o equilíbrio e fortalecer
a minha esperança...
Quero recompor minhas energias.
Para prosperar na minha missão,
e viver alegremente todos os dias...
Quero caminhar na certeza de chegar...
Quero lutar na certeza de vencer...
Quero buscar na certeza de alcançar.
Quero saber esperar para poder realizar,
os ideais do meu ser...


Brandinne



segunda-feira, 10 de setembro de 2012

"Reaprendo, todo dia, com as plantas que cultivo que cada flor tem seu próprio tempo de desabrochar. Não desabrocha porque eu quero. Quando eu quero. Porque eu tenho pressa. Cada flor desabrocha quando pode. Se eu lembrasse disso com mais freqüência talvez fosse mais paciente também com o meu tempo e com o tempo das outras pessoas, nós, botões de amor que somos desse imenso jardim divino."
Ana Jácomo

sexta-feira, 31 de agosto de 2012

O Poder das Palavras



Sempre num lugar onde passavam muitas pessoas, um mendigo sentava-se na calçada e ao lado colocava uma placa com os dizeres:
“Vejam como sou feliz!”

“Sou um homem próspero, sei que sou bonito, sou muito importante, tenho uma bela residência, vivo confortavelmente, sou um sucesso, sou saudável e bem humorado.”

Alguns passantes o olhavam intrigados, outros o achavam doido e outros até davam-lhe dinheiro. Todos os dias, antes de dormir, ele contava o dinheiro e notava que a cada dia a quantia era maior.

Numa bela manhã, um importante e arrojado executivo, que já o observava há algum tempo, aproximou-se e lhe disse:

“Você é muito criativo! Não gostaria de colaborar numa campanha da empresa?”

“Vamos lá. Só tenho a ganhar”, respondeu o mendigo.

Após um caprichado banho e com roupas novas, foi levado para a empresa.

Daí pra frente sua vida foi uma sequência de sucessos e há certo tempo ele tornou-se um dos sócios majoritários.

Numa entrevista coletiva à imprensa, ele esclareceu de como conseguira sair da mendicância para tão alta posição.

Contou ele:

-Bem, houve época em que eu costumava me sentar nas calçadas com uma placa ao lado, que dizia:

“Sou um nada neste mundo! Ninguém me ajuda! Não tenho onde morar! Sou um homem fracassado e maltratado pela vida! Não consigo um mísero emprego que me renda alguns trocados! Mal consigo sobreviver!”

As coisas iam de mal a pior quando certa noite, encontrei um livro e nele atentei para um trecho que dizia:

“Tudo que você fala a seu respeito vai se reforçando. Por pior que esteja a sua vida, diga que tudo vai bem. Por mais que você não goste de sua aparência, afirme-se bonito. Por mais pobre que seja você, diga a si mesmo e aos outros que você é próspero.”

Aquilo me tocou profundamente e, como nada tinha a perder, decidi trocar os dizeres da placa para:

“Vejam como sou feliz! Sou um homem próspero, sei que sou bonito, sou muito importante, tenho uma bela residência, vivo confortavelmente, sou um sucesso, sou saudável e bem humorado.”

E a partir desse dia tudo começou a mudar, a vida me trouxe a pessoa certa para tudo que eu precisava, até que cheguei onde estou hoje. Tive apenas que entender o Poder das Palavras. O universo sempre apoiará tudo o que dissermos escrevermos ou pensarmos a nosso respeito e isso acabará se manifestando em nossa vida como realidade. Enquanto afirmarmos que tudo vai mal, que nossa aparência é horrível, que nossos bens materiais são ínfimos, a tendência é que as coisas fiquem piores ainda, pois o Universo as reforçará. Ele materializa em nossa vida todas as nossas crenças.

Uma repórter ironicamente questionou:

-O senhor está querendo dizer que algumas palavras escritas numa simples placa modificaram a sua vida?

Respondeu o homem, cheio de bom humor:

“Claro que não, minha ingênua amiga! Primeiro eu tive que acreditar nelas!”

sábado, 25 de agosto de 2012

EFT com Rita - Acupuntura sem Agulhas para o seu Problema

Ana Jacomo






"É maravilhoso quando conseguimos soltar um pouco o nosso medo e passamos a desfrutar a preciosa oportunidade de viver com o coração aberto, capaz de sentir a textura de cada experiência, no tempo de cada uma. Sem estarmos enclausurados em nós mesmos, é certo que aumentamos as chances de sentir um monte de coisas, agradáveis ou não, mas o melhor de tudo, é que aumentamos as chances de sentir que estamos vivos. Podemos demorar bastante para perceber o óbvio: coração fechado já é dor, por natureza, e não garante nada, além de aperto e emoções mofadas. Como bem disse Virginia Woolf, ?não se pode ter paz evitando a vida.?”
Ana Jacomo

Nó Apertado...

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Jin Ji Du Li

Uma prática para prevenir o envelhecimento e perda de memória.
Parece fácil, certo?

Faça este exercício da cultura chinesa simples e eficaz... e verá.
A essência é que seus olhos devem estar fechados quando você pratica "Jin Ji Du Li" ... preste atenção.

Eis o exercício:
Fique sobre uma só perna, com os seus olhos abertos. É só isso. Experimente agora fechar os olhos.

Se você não for capaz de ficar em pé por pelo menos 10 segundos seguidos, isso significa que seu corpo se degenerou ao nível de 60 a 70 anos de idade. Em outras palavras, você pode ter apenas 40 anos de idade, mas seu corpo envelheceu muito mais rápido.

Ficar sobre um pé com os olhos abertos, é uma coisa e fazer o mesmo com os olhos fechados ... a história é outra!

Não precisa levantar muito a perna. Se os seus órgãos internos estão fora de sincronia, mesmo levantando a perna um pouco vai fazer você perder o seu equilíbrio.Os chineses estão bem avançados no conhecimento do corpo humano.

A prática frequente e regular do "Jin Ji Du Li", pode ajudar a restaurar o sentido de equilíbrio. Na verdade, os especialistas chineses sugerem que a prática diária por 1 minuto, ajuda a prevenir a demência. Primeiramente, você pode tentar fechar os dois olhos, não completamente. Na verdade, é isso que o especialista de saúde Zhong Li Ba Ren recomenda.

A prática diária de Jin Ji Du Li, pode ajudar na cura de muitas doenças, tais como:

Hipertensão;
Altos níveis de açúcar no sangue ou diabetes;
O pescoço e doenças da coluna vertebral;
também pode impedi-lo de sofrer de demência senil.

Zhong Li Ba Ren escreveu um livro intitulado: "A auto-ajuda é melhor do que procurar ajuda dos médicos", um best-seller que também foi o melhor livro de saúde à venda na China desde que foi publicado pela primeira vez no ano passado.

Seu sucesso pode ser medido pelo fato que rendeu mais de 1 milhão de cópias vendidas. Diz-se que de acordo com o entendimento de médicos chineses, a doença pode aparecer no corpo devido a problemas surgidos na coordenação entre os vários órgãos internos, o que faz com que o corpo perca o seu equilíbrio.

Jin Ji Du Li pode zerar esta inter-relação dos órgãos e como eles funcionam juntos. Zhong Li Ba Ren disse que a maioria das pessoas não consegue ficar sobre um pé com os olhos fechados por 5 segundos, mas depois, praticando todos os dias, são capazes de fazer por mais de 2 minutos.

Quando você conseguir ficar mais tempo, a sensação de peso desaparece. Ao praticar Jin Ji Du Li, você vai notar que sua qualidade do sono fica melhor, a mente limpa e melhora a memória significativamente. A coisa mais importante é que se for praticado Jin Ji Du Li com os olhos fechados por 1 minuto todo dia, você não irá sofrer de demência senil (o que significa que o cérebro continuará saudável). Zhong Li Ba Ren explicou que há seis meridianos principais que passam por entre as pernas.

Quando você ficar em uma perna, você sente dor devido ao exercício e, quando isso ocorre, os órgãos correspondentes a esses meridianos e suas formas começam a receber os ajustes necessários. Este método é capaz de se concentrar a consciência e canalizar o corpo até os pés.

Os efeitos benéficos da prática de Jin Ji Du Li em várias doenças como:
a hipertensão, diabetes, pescoço e coluna vertebral, começarão a ser sentido rapidamente.

Problemas como a gota também poderá ser prevenido.
Cura doenças básicas como "Pés Frios" e também pode reforçar a imunidade do corpo. Você não precisa esperar até que você tenha uma doença para começar a praticar Jin Ji Du Li.

É adequado para quase qualquer tipo de pessoa e especialmente benéfico em pessoas jovens, se praticadas diariamente, a probabilidade de adquirir problemas naturais da idade, será menor.

Não recomendado para pessoas cujas pernas são fracas e não podem ficar por longos períodos em pé.
 
Fonte:

Vanda Sirlene L. Berg - Grupo IBM Facebook

 
 
 
 

domingo, 19 de agosto de 2012

Mantra



http://almasgemelasqueseunen.blogspot.com.br/2012/08/para-meditar-y-disfrutar-mantra-ardas.html

sábado, 18 de agosto de 2012

Criança Interior


Afirmações para nutrir a sua criança interior


Amo-me mesmo totalmente, agora.
Abraço a minha criança interior com amor.
Assumo a responsabilidade por minha própria vida. Estou livre.
Agora estou crescido e tomo conta da minha criança interior com carinho.
Agora vou além dos meus medos e limitações.
Estou em paz comigo mesmo e com a vida.
É seguro expressar meus sentimentos.
Amo-me e aprovo-me a mim mesmo.
Crio o meu futuro agora.

Não importa que idade você tenha, existe uma pequena criança interior que precisa de amor e aceitação. Se você é mulher, não importa o quanto auto-suficiente você seja, existe uma menina muito sensível que precisa de carinho. Se você é homem, não importa o quanto macho, ainda assim possui um menino no seu interior que precisa de carinho e afeição.

Enquanto crianças, quando alguma coisa acontecia de errado, tendíamos a acreditar que algo estava errado conosco. As crianças desenvolvem a ideia de que se agirem direito, os seus pais ou quem toma conta deles vão amá-las e não serão castigadas. Em pouco tempo a criança começa a acreditar: existe algo errado comigo, não sou bom o suficiente. A medida que crescemos, carregamos essa crença falsa conosco. Aprendemos a rejeitar a nós mesmos.


Existe um pai dentro de cada um de nós assim como um criança. Na maior parte das vezes o pai reprime a criança - quase incessantemente! Se escutarmos o nosso diálogo interior podemos ouvir essa repressão. Precisamos permitir que o pai se torne mais positivos em relação a criança.

Descobri que trabalhar com a criança interior é muito valioso para ajudar a curar mágoas do passado. Precisamos comunicar com a nossa criança interior e deixá-la saber que aceitamos a parte que fez todas as coisas erradas, a parte engraçada, as birras, a parte assustada, a parte tola e frívola - enfim cada parte de nós mesmos.

O amor é a maior força de cura que conheço. O amor pode curar a mais profunda e dolorosa das lembranças nos cantos mais obscuros da mente. Não importa quão dolorosa tenha sido nossa infância, amar a nossa criança interior pode nos ajudar a curá-la. Pensamentos de amor e perdão pela nossa criança interior, irão abrir caminhos, e o Universo nos apoiará em nossos esforços.

Louise Hay


http://www.personare.com.br/iluminando-sua-crianca-interior-m1869

Afirmações Positivas para o PERDÃO - Louise Hay




Meu coração se abre para o perdão. Através do perdão alcanço o amor.

Hoje presto atenção nos meus sentimentos e cuido de mim amorosamente. Sei que todos os meus sentimentos são meus amigos.

O passado ficou para trás, não tem nenhum poder agora. Os pensamentos deste momento criam o meu futuro.

Não quero ser uma vítima. Eu me recuso a sentir desamparo. Afirmo meu próprio poder.

Eu me concedo o dom de estar livre do passado e me volto com alegria para o presente.

Eu obtenho a ajuda de que preciso, de diversas fontes. Meu sistema de apoio é: forte e afetuoso.

Não existe problema grande ou pequeno que não possa ser resolvido com amor.

À medida que mudo meus pensamentos, o mundo à minha volta também muda.

Estou pronto para ser curado. Estou disposto a perdoar. Tudo está bem.

Quando cometo um erro, eu me dou conta de que isso faz parte do meu processo de aprendizado.

Perdôo as pessoas do meu passado por todos os seus erros. Eu as libero com amor.

Todas as mudanças que ocorrerem em minha vida são positivas. Sinto segurança.

Por meio do perdão chego à compreensão e sinto compaixão por todos.

Cada dia é uma nova oportunidade. O ontem já passou. Hoje é o primeiro dia do meu futuro.

Padrões antigos e negativos não me limitam mais. Eu me desapego deles facilmente.

Sei perdoar, sou amoroso, bom e gentil, e sei que a vida me ama.

Ao me perdoar, fica mais fácil perdoar os outros.

Amo e aceito os membros da minha família tal como são neste exato momento.

Sei perdoar, sou amoroso, bom e gentil, e sei que a vida me ama.

sábado, 11 de agosto de 2012

Canción Ho`oponopono en Espanhol Eduardo Hernandez


Ho oponopono com Keli Soares



Cada pensamento é uma causa e cada condicionamento é um efeito.
Se você deseja escrever um livro ou uma peça maravilhosa ou falar melhor em público, transmita a idéia com amor e sensibilidade à sua mente subconsciente e ela responderá de acordo. Você é como um capitão no comando de um navio. Ele deve dar as ordens certas. Da mesma forma, você deve dar as ordens certas (pensamentos e imagens) ao seu subconsciente, que controla e governa todas as suas experiências. Nunca use as palavras "não posso ter" ou "não posso fazer". Sua mente subconsciente toma as suas palavras ao pé da letra e cuidará para que não tenha o dinheiro ou a habilidade para realizar o que deseja. Afirme sempre: "Posso fazer todas as coisas com o poder do meu subconsciente."Joseph Murphy

"A casa do Tesouro que há dentro de você.

Há uma mina de ouro dentro de você, da qual pode extrair tudo aquilo de que

necessita para levar uma existência gloriosa, repleta de alegria e fartura".
Joseph Murphy

quarta-feira, 11 de julho de 2012

Ventos de Paz: Quando a mente se acalma...

Ventos de Paz: Quando a mente se acalma...: "Quando a minha mente está calma, eu acesso uma confiança que é descanso e proteção. Uma fé genuína na preciosidade da vida. Sinto que tudo...

Ventos de Paz: Vivência simples...

Ventos de Paz: Vivência simples...: Tocar a realidade sem julgamentos, Aceitar aquilo que É, É como colher flores com um suspiro na alma, É voar com as borboletas e cantar... ...

Ventos de Paz: Sendo Um com a Vida - Prem Baba

Ventos de Paz: Sendo Um com a Vida - Prem Baba: "Permita que a existência flua através de você. Seja um com a existência. Seja um instrumento através do qual Deus se manifesta e realiza a...

terça-feira, 10 de julho de 2012